Home
Palestra
Fotos
Publicidade
Notícias
Contato
Notícias

Observações de um usuário do Honda Golf Center - Coluna GUILLERMO PIERNES

Cupom Não Fiscal pago para jogar no campo do Honda Golf Center - foto GP

Observações imparciais sobre o estado do Honda Golf Center

Por Guillermo Piernes ***

Quando o Centro de Treinamento da Federação Paulista de Golfe aprovou o naming right de um dos melhores e maiores fabricantes de carros do Japão e do mundo eu fiquei entusiasmado.

Imaginei que o FPG Golf Center inaugurado em 2000 recuperava todo o seu brilho inicial, com tapetes e bolas novas, o campo impecável com uma jardinagem esmerada, suas duas lojas de golfe, um restaurante simpático e de boa qualidade.

Quando o então presidente da FPG Alvaro Almeida e a sua diretoria inauguraram o centro de treinamento, o golfe brasileiro teve o seu maior crescimento num ano, como boa porta de entrada nesse local.

A diretoria da FPG convidava jornalistas de todos os meios para praticar golfe e assim conseguia ampla divulgação sem comprar ou gastar dinheiro nenhum tipo de mídia.

Primeiro foi Kaiser Golf Center e em anos recentes o Embrase Golf Center

Fazia um ano que não pisava essas instalações, perto da cabeceira do aeroporto de Congonhas porque doía comparar o centro de treinamento dos primeiros anos e dos últimos quatro anos.

O serviço de estacionamento acabou. Para minha tranqüilidade fui de taxi. Não tem loja de golfe. Leve os seus tacos porque os que o centro aluga são da época em que eu fui iniciado no golfe. A gastronomia continua bem porque os dois restaurantes são ótimos.

Após pagar R$62 para jogar no campo de pitch & putt numa terça-feira entrei no campo com velhos amigos do Pé Duro, o grupo que faz anos toda terça-feira da cor e vida ao complexo. Risadas e brincadeiras que aumentam o prazer de acertar a bola com perfeição, de vez em quando.

Como usuário normal eu diria que falta muito mesmo para que a Honda possa se orgulhar do espaço levar o seu nome. Honda desistiu da seu compromisso total com a qualidade é a pergunta. Não. Honda busca 120 por cento de qualidade, segundo o seu site oficial é a resposta.

Por isso atrevo-me a listar algumas observações para iniciar uma necessária melhoria e tal vez os clubes que integram a FPG um olhar mais atento para recuperar esse espaço como porta de entrada de praticantes e proteger os executivos da Honda que tomaram a decisão do naming right.

O estado geral do gramado é aceitáve, porem com muitas falhas e até a presença do capim Brachiara. Existem numerosos espaços que precisam preenchidos com grama. A maioria dos tapetes dos buracos para dar o tiro de saída está desgastada. As bancas de areia são desastrosas. Salvo um buraco não existe marcação de limites, terreno em reparação, etc.

Falta cuidado com o paisagismo, com as eras pulando dos muros por falta de corte em vez de revesti-los de verde natural.

O buraco Um está legal, salvo falta uma rede de proteção para os jogadores que estão no Green do Dois, destino final de uma média de uma de cada oito bolas. Uma obra junto ao buraco Dois deve ficar pronta em breve e assim deixará de impressionar tão mal com restos de cimento e pedras. O buraco Três tem a sua direita um espaço grande sem grama nem marcação.

No buraco Quatro o muro quase em ruínas e uma janela semi-destruída atrás do tee de saída elimina qualquer ligação com um esporte da elite empresarial mundial. No buraco Cinco no Green continua atenuada uma depressão sem sentido é com falta de grama em vários locais em volta dele. .

A esquerda do buraco Sete existe um verdadeiro quarto de despejo ou lixão incipiente. O buraco Oito ficou feio porque no seu lado direito foi destruído um arbusto de flores rosadas. O buraco Nove encerra o percurso com um lago artificial que já foi límpido.

Desconheço os responsáveis diretos pela gestão do espaço – imagino sejam profissionais e não indicados por amizade ou parentesco - assim como também ignoro quais os recursos financeiros e como são aplicados.

Porem por conhecer a busca da perfeição dos executivos japoneses, como amante do golfe e como usuário pagante do centro de treinamento seria omissão não compartilhar essas observações com usuários e possíveis usuários.

Tal vez porque lembrei que houve omissão dos que perceberam um vazamento numa represa e ficaram calados.


*** Guillermo Piernes é consultor empresarial, escritor e palestrante. www.guillermopiernes.com.br piernes@golfempresas.com.br

[ voltar para a homepage ] [ ver todas as notícias ] [ ver próxima notícia ]






Copyright Golf e Negócios 2020   Desenvolvido por InWeb Internet