Home
Palestra
Fotos
Publicidade
Notícias
Contato
Notícias

Na selva equatorial africana Gran Hotel Djibloho com o brilho de sete estrelas

Lobby Gran Hotel Djibloho - foto div

Por Guillermo Piernes*

DJIBLOHO, Guinê Equatorial (GOLFEMPRESAS) – Um joia da hotelaria mundial brilha no coração da Africa, em Djibloho na pequena Guinea Equatorial.

O Grand Hotel Djibloho, um sete estrelas, está situado no coração da selva equatorial africana, rodeado de verdes colinas e o sinuoso río Mbini, com todos os elementos para abrilhantar momentos inesqueciveis de visitantes privilegiados.

O luxoso hotel está localizado em Djibloho, a futura capital administrativa de Guinê Equatorial, e a 20 quilômetros do novo aeroporto de Mongomeyén.

O Grand Hotel Djibloho e um dos cem melhores hoteis do mundo e tem como diretor geral ao italiano Vincenzo Presti, uma lenda entre os grandes administradores da hotelaria mundial, atento a cada detalhe do atendimento.

Presti e um pioneiro com visão para os negocios com 35 realizações no mundo da hospitalidade, 13 na Italia e 22 em diferentes pontos do planeta.

Foi definido como "o homem com a mala sempre pronta" na procura de oportunidades para novas realizacoes em qualidade de presidente e socio da empresa Ora Hotels, e de 2014 e director de Luxury Hotel Managements e Gerente Geral do Grand Hotel Djibloho.

Um dos principios de trabalho nos hoteis do grupo e uma labor "que se nutre de bases operativas artesanais porem dirigidas por um espirito industrial".

Essa filosofia permeia o fantastico Grand Hotel Djibloho com 380 habitaççoes, 72 suites e 50 vilas.

"Maravilhado" e a primeira definição dos visitantes ao percorrer o complexo hoteleiro.

Presti com a sua experiencia e autoridade de 38 anos no mundo hoteleiro, na Europa, Africa e Oriente Medio e visitas pelo resto do mundo afirma que "este tipo de hotel dificilmente se encontra, não somente na Africa mas no mundo. Sim e fantastico".

Um festival gastronômico nos três excepcionais restaurantes, o Mariposa de cozinha internacional, L’incanto especializado em pratos italianos e o Lom com tradicional menu africano.

Um completo ginasio, com tecnologia avançada, digno de um centro de preparação olimpica.

O SPA é a entrada para outro planeta onde os sons são suaves, os aromas embriagadores, e os serviços esmerados para recuperar o desgaste de um torneio de golfe, de um dia de turismo intenso ou de uma noite especial.

A sauna e o banho de vapor são pontos altos do spa, junto com a piscina aquecida com vista para a selva e o interior magnificamente decorado.

O Grand Hotel Djibloho foi construido pelo grupo italiano Piccini, grande empresa da construção com sede em Perugia.

A joia da hoteleria africana conta com 250 funcionarios locais e 70 profissionais procedentes de Ucrania, Camarões, Frabnça, Mali, Egito, Marrocos, Italia, Russia e Reino Unido e de varios paises sul-americanos.

O treinamento e realizado sem pausa, todos os dias, da manhã ate a noite porque por tras de todo campeão existe muito trabalho.

O resultado pode ser constatado, no sorriso facil dos hospedes, pelo brilho que um local deslumbrante e a sua atenção redobrada transmite aos olhares dos visitantes.

O hotel fica a 35 minutos de carro do Presidents Golf Club, em Mongobo, cenario do principal torneio internacional de golfe da Africa Ocidental, o 3e Actuaries Open.

Porem o proprio Gran Hotel Djibloho tem um campo de 18 buracos, que circunda o hotel acompanhando o rio Mbini, tornando-se o ponto de atração para diferenciados amantes do golfe de todo mundo.

O Gran Hotel Djibloho conta com um anfiteatro que poderia estar entre os mais bonitos do mundo com capacidade para 1.200 pessoas, salas para grandes reuniões empresariais, alem de heliponto.

A suite presidencial esta num andar gigantesco exclusivo, onde cada milimetro de paredes, moveis e decoração, destila alta qualidade e bom gosto e são 800 m2.

“Guinê Equatorial é um país de encanto natural com os visitantes maravilhados com as suas belezas e a hospitalidade da sua gente”, disse o diretor geral do maior torneo de golfe da Africa Ocidental, Olawale Opayinka.

O anfitrião do 3e Actuaries não teve um centimetro de exagero nas suas palavras.

O pais com uma população de 720 mil habitantes tem atualmente o petróleo como combustível principal para a marcha da sua economia e também cresce como destino de golfe.

Com o Gran Hotel Djibloho o palpitar do coração da Africa passou a ser ouvido e o brilho estelar considerado pelos mais exigentes viajantes.


*Guillermo Piernes e escritor, palestrante, consultor e editor de Golfe Empresas. Autor de +Liderança e Golfe+, +Tacadas de Vida+ e +Comunicação na America Latina+.

Foi correspondente internacional das agencias Reuters e UPI, portavoz da Organização dos Estados Americanos em Washington e Diretor Geral da OEA no Brasil.

[ voltar para a homepage ] [ ver todas as notícias ] [ ver próxima notícia ]






Copyright Golf e Negócios 2019   Desenvolvido por InWeb Internet